Crase e topônimos. Topo-quê?

Buenas, antes de começar a falar de regras da crase, precisamos saber o que são topônimos, não é mesmo?

, 20 de dezembro de 2012

Antes de começar a falar de regras da crase, precisamos saber o que são topônimos, não é mesmo? Então, vejamos:

Topônimos

Sabendo-se que topônimos são nomes próprios de lugares, vamos ao que interessa. 

Primeiro precisamos descobrir se o nome da cidade/Estado/país aceita um artigo, por exemplo:

  • A Bahia > da Bahia
  • O Rio de Janeiro > do Rio de Janeiro
  • Salvador > de Salvador
  • Brasília > de Brasília

Com isso, sabemos que alguns nomes admitem o artigo a (fundamental para que ocorra a crase) e outros não. 

Depois, precisamos saber a regência do verbo o qual utilizaremos, no caso, ir. Sobre isso, diz o Cegalla (Dicionário de Dificuldades da LP, L&pm, p. 230):

“Em linguagem culta formal, diz-se ir a (e não ir em) um lugar (...)”

De posse da regência correta do verbo ir, saberemos que existe a preposição a e que, se o nome admitir, o artigo a também aparecerá. Portanto:

  • No sábado, irei (a) + (a) Bahia. / No sábado, irei à Bahia.
  • No sábado, irei (a) + (/) Brasília. / No sábado, irei a Brasília.

Veja e faça o seguinte raciocínio: Volto da (de+a) Bahia, portanto, vou à Bahia. / Volto de (de+/) Brasília, portanto, vou a Brasília.

Gostou deste post?


Escrito por Carol Machado,
em 20 de dezembro de 2012.
Mestranda em Ciências da Linguagem na Universidade Nova de Lisboa. Graduada em Letras pela PUCRS. Revisora desde 2008. Autora do Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante. :)
Foto de Carol Machado