Tipos de editoras que podem publicar seu livro

Você já tem um original na mão e pretende publicá-lo. Mas espere um pouquinho… ainda temos muito trabalho pela frente!

, 10 de fevereiro de 2016

Então você colocou o último ponto final na última frase do último parágrafo do último capítulo do seu livro. Que sensação incrível! A primeira coisa que você quer é mostrar essa obra-prima para o mundo. Mas aí vêm as dúvidas. Para quem enviar? Como enviar? Quem vai ler meu manuscrito, afinal? Quais editoras podem ter interesse?

As etapas de produção editorial não são peças fixas. Há quem defenda que o autor, terminado o trabalho, envie o texto a um preparador de originais. Há também quem defenda que o autor deve procurar um leitor crítico profissional para que este aponte as falhas no texto e dê sugestões de como melhorá-las.

Com certeza essas medidas citadas vão ajudá-lo na hora de encontrar a editora ideal. Quanto mais profissional estiver o texto, maiores são as chances de um editor apostar no trabalho. Tenha em mente que essas etapas devem se repetir na editora, o que de forma alguma deve ser interpretado como algo ruim ou dispendioso.

Dito isso, vamos entender quais são as opções de publicação disponíveis no mercado e como elas podem ajudá-lo na publicação da sua obra.

No meu entender, hoje em dia temos quatro tipos de formas de publicar um livro. Vejamos quais são elas.

Editoras tradicionais

Nesse tipo de editora, o autor assina um contrato com a empresa para que esta possa publicar a obra. É acordado que o autor receberá alguma porcentagem do valor de capa do livro, em geral 10%. Todos os custos, desde a preparação de originais até a distribuição da obra, ficam sob a responsabilidade da editora.

Esse certamente é o caminho mais difícil para autores iniciantes, pois a aposta das grandes editoras em novos nomes infelizmente é bem limitada. Para conseguir se destacar e ter chances, é preciso muito trabalho de divulgação do seu nome como autor, e até mesmo a tentativa de investir primeiro em uma autopublicação, para então chamar a atenção dos grandes.

Vantagens dessa forma de publicação

  • O autor assina o contrato e tem a preocupação de acompanhar o processo editorial, mas não é o principal responsável por ele.
  • Todos os custos de produção do livro são assumidos pela editora.
  • Essas editoras são as mais conhecidas no mercado, então é de se esperar que obras assinadas por elas ganhem mais destaque na mídia, assim como tenham mais investimento em marketing.

Desvantagens desse tipo de publicação

  • O valor repassado para o autor é bem baixo. Então, se não houver um volume considerável de vendas, o retorno pode não ser o esperado.
  • O autor não tem muito controle sobre como será produzido o livro (mas tudo depende do que é acordado em contrato).
  • É possível ainda que o editor sugira modificações na história do livro para que este se torne mais atrativo comercialmente (se positivo ou negativo, aí depende do ponto de vista do autor).

Editoras comerciais

Nas editoras comerciais, há diferentes formas de o autor contribuir no custo da publicação. Acredito que o mais comum seja o autor comprar uma parte significativa da tiragem inicial ou mesmo pagar uma quantia para a editora. Assim, é possível ter seu livro impresso com o selo de uma editora, mas sem precisar recorrer à possibilidade ou não de ser aceito em uma editora tradicional.

Essas editoras servem, então, mais ou menos como um agente de viagens: você quer tirar férias, mas não quer se preocupar em ter de comprar passagens, reservar hotéis, fazer roteiros. A editora comercial, por sua vez, fica responsável pela preparação da obra, diagramação, projeto gráfico, revisão de provas e impressão do livro. Ou seja, o autor contará com todo o conhecimento editorial da publicadora.

Vantagens dessa forma de publicação

  • Em geral, é mais fácil ter uma obra aceita por esse tipo de editora, pois o autor se compromete com parte do custo (ou o custo total) do livro, o que gera quase nenhum risco para a publicadora.
  • O autor não precisa ter conhecimento aprofundado de processo editorial para publicar sua obra.

Desvantagens desse tipo de publicação

  • Os custos de produção e impressão de um livro podem ser bem altos dependendo do tamanho da tiragem. Normalmente, quanto menor o número de exemplares impresso, maior o preço de capa do livro.
  • É preciso muito cuidado por parte do autor em relação à editora que está contratando. É bom recolher depoimentos de quem já publicou com a empresa para saber se tudo é feito da forma correta.
  • Editoras comerciais nem sempre oferecem a parte mais difícil para um autor iniciante: a distribuição dos livros. Se for optar por esse tipo de publicação, já comece a estudar sobre marketing, além de construir uma imagem e divulgar a sua história na internet para atrair mais leitores.

Autopublicação impressa

Há algum tempo essa é a alternativa para escritores iniciantes que querem reduzir custos na publicação de suas primeiras obras. Nesse tipo de publicação, o autor é responsável pelo processo, desde a preparação dos originais até a distribuição do livro. Mas não se engane; isso não significa que o autor vá revisar seu próprio original e diagramá-lo no MS Word. Um autor indie pode — e deve — contar com bons profissionais para cada etapa do processo de editoração, pois só assim terá um livro que chamará a atenção dos leitores e das grandes casas publicadoras.

Vantagens dessa forma de publicação

  • O autor tem todo o controle sobre tudo o que está sendo feito com e no texto dele.
  • Ele decide tudo, até mesmo quanto o livro custará para o leitor final.
  • É possível escolher quais profissionais trabalharão no livro, o que pode diminuir o custo já que se elimina a comissão do intermediário.

Desvantagens desse tipo de publicação

  • O autor precisa ter bons conhecimentos sobre processo editorial para que o resultado seja um livro profissional.
  • O tempo que o autor investirá no contato com profissionais e no estudo de cada etapa pode aumentar o tempo de produção do livro.
  • Mais uma vez: a distribuição da obra pode ser um entrave.

Autopublicação online

Se ainda não ouviu falar de ferramentas como o Kindle Direct Publishing, da Amazon, está mais do que na hora. Isso porque, acredito, é a forma mais acessível de publicação que temos no momento. Os e-books têm a vantagem da distribuição facilitada e a visibilidade que o marketplace pode oferecer. Claro que não é fácil chegar aos mais vendidos, mas a publicação digital diminui bastante os custos em relação ao impresso. As grandes lojas de e-books atualmente têm programas de autopublicação, como Kobo, Saraiva, Amazon etc.

No entanto, mesmo autopublicando em meio digital, ainda será preciso passar pelas etapas de preparação e revisão do livro.

Vantagens dessa forma de publicação

  • Redução de custos na produção do livro.
  • Facilidade de distribuição por meio da internet.
  • Controle de vendas dos exemplares em tempo real (depende da plataforma).
  • Visibilidade de lojas virtuais já conhecidas.

Desvantagens desse tipo de publicação

  • Dependendo de onde e como você publica, há o risco de pirataria.
  • Você pode cair na tentação de terminar de escrever a obra e publicá-la imediatamente, sem percorrer etapas essenciais para produzir uma obra profissional.
  • Você pode não alcançar o público que ainda não está acostumado com a leitura em meios digitais.

Dicas de formatação de manuscrito

Você não precisa formatar o seu livro no Word para que ele se pareça com um livro já pronto. Não se esqueça de que ele ainda passará por muitas etapas antes de ir para a diagramação. Então, tudo o que você tem a fazer é torná-lo agradável à leitura. Para isso, invista em uma fonte bem legível em um tamanho agradável. Pode ser mesmo Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5, margens normais, tamanho de papel A4.

Além disso, algumas práticas darão um ar mais profissional ao seu arquivo. Usar o recurso de quebra de página (CTRL+enter) em vez de dar “enter” até o texto correr para a próxima página, bem como recorrer à régua para fazer o recuo de parágrafo – evite o “tab” e sob hipótese alguma o faça tocando várias vezes a barra de espaços.

Outra coisa que facilita a vida de quem for ler o manuscrito é colocar o número das páginas (menu Inserir > Número de Página).

Não se esqueça, porém, de que cada editora pode ter as próprias regras de apresentação para manuscritos. Procure se informar para que seu texto não seja descartado sem ao menos ter sido lido.


Escrito por Carol Machado,
em 10 de fevereiro de 2016.
Mestranda em Ciências da Linguagem na Universidade Nova de Lisboa. Graduada em Letras pela PUCRS. Revisora desde 2008. Autora do Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante. :)
Foto de Carol Machado