E se alguém propusesse mudar radicalmente a leitura como conhecemos?

Se uma tecnologia dessas virasse o novo padrão de leitura, qual seria o impacto para os revisores de texto?

, 2 de julho de 2014

Tradicionalmente, nós publicamos textos em linhas e movemos os olhos para progredir na leitura.

Mas você já ouviu falar na tecnologia Spritz?

O Spritz propõe que tenhamos outra forma de leitura, bem mais rápida do que como lemos hoje. Novo padrão de leitura

Por meio de estudos, eles chegaram à conclusão de que há uma letra-chave através da qual nós identificamos palavras inteiras. Para facilitar o nosso trabalho, o aplicativo move as palavras enquanto nosso olho fica parado. Além disso, ele destaca a tal letra-chave para que foquemos apenas em decodificar a palavra mais rapidamente.

Veja mais detalhes e como tudo isso funciona na prática:

Algumas características interessantes:

- Spritz não é um aplicativo, é uma tecnologia;
- já existem aplicativos para leitura que utilizam o Spritz;
- a velocidade das palavras pode ser ajustada;
- você pode ler sites com o Spritz, é só seguir as instruções.

Confesso que não sou uma estudiosa de padrões de leitura, mas achei a ideia bem audaciosa. Para leituras rápidas, por que não tentar? Sinceramente, se os aplicativos de leitura para e-books oferecessem rolagem de textos (como lemos na web), e não essas tentativas de simular o virar de páginas de um livro em papel, eu já ficaria bem feliz.

E se uma tecnologia dessas virasse o novo padrão de leitura?

Qual seria o impacto para os revisores de texto?


Escrito por Carol Machado,
em 2 de julho de 2014.
Mestranda em Ciências da Linguagem na Universidade Nova de Lisboa. Graduada em Letras pela PUCRS. Revisora desde 2008. Autora do Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante. :)
Foto de Carol Machado