Precisamos falar sobre a diferença entre preparação e revisão de textos

A diferença entre preparação e revisão de textos é um tema muito importante para revisores; principalmente para quem quer atuar no mercado editorial.

, 19 de maio de 2016

A diferença entre preparação e revisão de textos é um tema muito importante para os revisores. Isso porque clientes em sua maioria não sabem exatamente o que é feito em cada uma das atividades. Outro problema é que nem sempre os próprios revisores concordam sobre as atribuições de cada profissional.

Preparação e revisão de textos: o lugar de cada etapa no processo editorial

As duas etapas fazem parte do processo editorial; no entanto, ocorrem em momentos diferentes. A preparação de originais é feita logo depois da tradução, quando se trata da edição de uma obra estrangeira; quando o livro é nacional, será enviado pelo autor para a editora, que o encaminhará para a preparação de originais após a análise do editor. Depois da diagramação, é hora da primeira revisão de provas.

A imagem ilustra de modo geral as etapas da escrita/tradução de um livro até a impressão.

processo editorial gráfico

 

O que é preparação de textos?

A preparação de textos também é chamada de preparação de originais ou copydesk (copidesque). É uma leitura que busca não só falhas ortográfico-gramaticais, mas também:

  • problemas de coesão (mau uso de conectivos, por exemplo);
  • fluidez textual (ordem dos elementos na frase, naturalidade da frase em português);
  • se estão sendo usadas expressões comuns no português;
  • se ocorreram saltos de tradução; ou
  • se a tradução está com “cara” de inglês simplesmente traduzido para o português, por exemplo.

Características da preparação de textos

  • É feita no Word.
  • Dá sugestões de estilo.
  • Verifica continuidade e padronização textual.
  • Reescreve trechos para dar mais clareza ao texto.
  • Verifica correção gramatical e sua adequação ao contexto.

Veja o resultado da preparação

Na imagem abaixo, você vê uma página de preparação no modo de leitura do Word, com o controlador de alterações ativado e as alterações exibidas no texto (inserções) ou em “balões” na lateral direita (exclusões, comentários e alteração na diagramação).

diferença entre preparação e revisão de textos

O texto da imagem é apenas um exemplo fictício. ;)

O que é revisão de texto?

Já a revisão de texto – ou revisão de provas – é feita após a diagramação e antes da aprovação final do editor, tendo um propósito um tanto quanto diferente da preparação. Nessa fase, os problemas textuais já são, evidentemente, bem menores.

Checa-se então, além de problemas textuais menores que possam ter passado pelo preparador:

  • aspectos gráficos da obra, buscando a padronização de negritos, itálicos e caixa-alta e baixa;
  • numeração de sumário de acordo com o "miolo";
  • se as remissões estão corretas, numeração de índices; ou
  • se nenhuma parte do livro se perdeu durante a diagramação.

Características da revisão de textos

E o resultado da revisão

Nesta imagem, veja as marcações feitas em PDF usando os sinais de revisão de provas.

diferença entre preparação e revisão de textos

O texto da imagem é apenas um exemplo fictício. ;)

O que são emendas e por que devemos conferi-las?

Emendas são as marcações de alterações indicadas pelo preparador ou pelo revisor, como você pode ver nas imagens acima.

As emendas de preparação são feitas e aceitas no próprio Word; como o preparador altera o texto diretamente, ele tem essa liberdade. Já as emendas de revisão são marcações em PDF ou papel, para que o diagramador, posteriormente, as faça no arquivo dele (InDesign ou algum outro programa de diagramação/paginação).

Nesse ir e vir de arquivos, algumas alterações pedidas pelo revisor podem se perder, então é interessante que este confira se as emendas pedidas na etapa anterior foram feitas para que o trabalho tenha continuidade.

É importante distinguir entre preparação e revisão de textos?

Costumo defender que no meio editorial essa distinção não só é importante como é fundamental. Livros de qualidade são resultado de um trabalho em equipe, que não pode prescindir de peças-chave, como pelo menos duas pessoas diferentes revendo o texto.

Já fora do meio editorial a realidade nos mostra que dificilmente teremos mais de uma pessoa a revisar o mesmo texto. Em propaganda e marketing, por exemplo, lidamos com textos muito curtos e uma rotina extremamente dinâmica, muito diferente do que se vê em editorial.

Para os diferentes casos, o revisor deve sempre avaliar bem o tipo de trabalho. Assim, ele entenderá se é preciso fazer uma preparação ou uma revisão mais simples, de acordo com a qualidade do escrito e a expectativa do contratante.


Escrito por Carol Machado,
em 19 de maio de 2016.
Mestranda em Ciências da Linguagem na Universidade Nova de Lisboa. Graduada em Letras pela PUCRS. Revisora desde 2008. Autora do Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante. :)
Foto de Carol Machado