Da necessidade de autorreinvenção

Você já pensou em aprender algo novo hoje?

, 28 de outubro de 2014

Vejo todos os dias revisores reclamando da falta de trabalho, que ninguém valoriza a profissão... e assim vai a lamentação.

O que não vejo muita gente fazer é tentar se reinventar. Você já ouviu aquela frase que diz mais ou menos não espere resultados diferentes tendo as mesmas atitudes? Então, é isso. Não adianta plantar batatas e esperar colher cenouras. O que você tem é resultado daquilo que busca.

Eu sou uma defensora feroz da mudança de visão que as pessoas têm dos revisores. A visão mofada que temos a gramática como bíblia e os gramáticos como deuses só nos prejudica. Mas veja bem: gramática normativa é importante? Sim, evidentemente é! Até mesmo para entender quando um desvio das regras que ela impõe é adequado ou não. Quanto mais as pessoas entenderem que nós buscamos a qualidade do texto, e não colocá-lo em caixinhas normativas, mais trabalho teremos.

Importante também é entender que vivemos em um mundo dinâmico. E a língua acompanha esse dinamismo mais do que nunca. Nos* mantenhamos atualizados. Saibamos o que é uma selfie (um selfie? ― só o tempo dirá) e até mesmo o significado do shrug ~> ¯\_(ツ)_/¯. Esse tipo de expressão aparece em livros? Provavelmente não ― por enquanto. Mas quem mesmo quer se restringir à revisão somente de livros quando há um mar de textos a serem revisados lá fora?

selfie

Seja uma nova expressão, uma nova forma de trabalhar, seja uma nova ferramenta. Novos conhecimentos não ocupam espaço e sempre são úteis na hora de procurar trabalho. Experimente e depois me conte o resultado. =)

 


*Essa próclise em início de frase doeu em você? =P


Escrito por Carol Machado,
em 28 de outubro de 2014.
Mestranda em Ciências da Linguagem na Universidade Nova de Lisboa. Graduada em Letras pela PUCRS. Revisora desde 2008. Autora do Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante. :)
Foto de Carol Machado