Muitos e diferentes motivos podem levar você a tentar a vida como revisor freelancer. Uns porque sonham com a vida no home office, outros porque sonham em dedicar a vida à literatura, outros ainda porque ficaram desempregados e é o que resta.

Incontáveis são as vezes que a frase “meu sonho é trabalhar com livros” chega à caixa de entrada do meu e-mail. É bonito ter um sonho. Pode ser estimulante.

A controvérsia começa quando percebemos que nem tudo está saindo como o esperado. É difícil, antes de começar a trilhar um caminho, fazer uma pausa e pensar em estratégias para chegar aonde queremos.

Mas infelizmente não existem atalhos. Construir uma carreira leva tempo e esforço – sobretudo em momentos de economia desaquecida –, além de exigir coragem para sair da zona de conforto. Ter visão imediatista nesse caso só leva a duas coisas: frustração e estagnação.

Frustração porque, por exemplo, o site que você criou não gerou mais de 50 orçamentos por mês, ou os 50 currículos que você enviou não deram retorno.

Estagnação porque diante disso você não se mantém atualizado (tampouco mantém seu site atualizado). E esses são só dois exemplos de como o imediatismo pode nos atrapalhar quando escolhemos trilhar um caminho independente. Falo isso porque as duas coisas já aconteceram comigo no início da carreira.

Para tentar amenizar a parte difícil, tenho aqui quatro dicas que podem colocar você alguns passos à frente na corrida do revisor freelancer pelos clientes perfeitos.

Defina seu nicho de atuação

Ser generalista no início da carreira pode parecer uma boa ideia. Não faltam anúncios cujo mote se define por: “Reviso monografias, artigos, livros, materiais publicitários, bula de remédio, etc.”.

No entanto, quando você tenta alcançar todo mundo acaba alcançando ninguém. Pense no seguinte: se você tem a oportunidade de consultar um especialista sobre um problema que tem, por que consultaria um generalista? O mesmo acontece com revisores.

Se você já tem experiência em alguma outra área (ou seja, não é formado em Letras, mas em outra faculdade), talvez nisso mesmo resida o seu diferencial. Você já conhece um jargão especializado e pessoas de outra área.

Defina seu propósito

O que a revisão freelancer vai representar na sua vida? É uma carreira que você quer seguir ou é um serviço que quer oferecer para “ganhar um extra”?

Entrar em uma nova profissão pode ser difícil, então avalie se vale a pena investir tanto tempo em algo que você não se vê fazendo daqui a cinco anos.

Defina o que o faz diferente dos demais revisores freelancers

Preço baixo, rapidez e qualidade não são diferenciais. Sabe por quê?

Preço baixo no longo prazo não é sustentável. Rapidez, quando se acumula muito trabalho devido ao preço baixo, já não é uma opção viável; além disso, revisão por natureza não é um serviço rápido. E prestar um serviço de qualidade, como diria a sua família, não é mais do que fazer a sua obrigação.

Então o que sobra?

Sobram o seu estudo, a sua especialização, os assuntos pelos quais você se interessa e os quais estuda, sobra o relacionamento com o seu cliente, sobra a forma como você atende o cliente.

Seu único limite de diferencial é a sua criatividade em divulgá-lo e a sua competência para exercê-lo no dia a dia!

Defina como você alcançará seu nicho de atuação

Dito tudo isso, é hora de arregaçar as mangas e ir à luta. Onde está o seu cliente ideal? Ele acessa sites, navega pelo Facebook? Por qual tipo de conteúdo se interessa?

Criar materiais que interessem seu nicho é uma ótima forma de começar a juntar leitores e clientes ao seu redor. Só tenha em mente que é um trabalho diário e requer paciência até que comecem a aparecer os primeiros resultados.

Gostou das dicas?

Compartilhe outros aprendizados conosco aqui nos comentários!

Também tratamos deste e de outros assuntos em mais profundidade no Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante. 😊